quinta-feira, 30 de junho de 2011

Bugatti Veyron 16.4: O Último é vendido.

- Conversível teve produção limitada a 300 unidades.
   Divulgação
- Um dos modelos mais valiosos do mundo acaba de se transformar em peça de colecionador. O 300ª unidade do Bugatti Veyron 16.4 foi vendida para um consumidor europeu, o que marcou o fim da produção do superesportivo – limitada, justamente, a 300 unidades.
-
O Veyron foi o primeiro automóvel produzido totalmente com fibra de carbono. Equipado com motor de 1.001 cv e 127,4 kgfm, o carro acelera de 0 a 100 km/h em 2,5 segundos e atinge velocidade máxima de 407 km/h.
-
Para os órfãos, a marca continuará a produzir o Veyron Grand Sport até que as 150 unidades do modelo sejam vendidas.
Fonte: Autonews

Audi R8 ganha série Le Mans.

Edição especial terá 100 unidades e celebra 10ª vitória da marca na prova francesa.
A AQudi anunciou nesta quarta-feira (29) a série especial Le Mans do superesportivo R8, feita em homenagem à décima vitória da marca das argolas na tradicional prova francesa. A notícia ruim (para os aficionados e endinheirados) é que a edição terá apenas 100 unidades produzidas, todas destinadas ao Reino Unido.
Audi
Série especial será vendida apenas no Reino Unido, a partir de R$ 220 mil
O R8 Le Mans foi criado a partir da versão V8, empurrada pelo poderoso motor 4.2 litros a gasolina de oito cilindros em “V” e 420 cavalos. A carroceria exibe pintura cinza metálica (que lembra o metal titânio) e as enormes rodas de liga leve de 20’’ – com as pinças vermelhas do freio aparentes – têm desenho inspirado nas rodas da versão GT.
Audi
Painel e bancos são forrados com couro bicolor (vermelho e preto) do tipo Nappa
- Segundo a Audi, o bloco central (montado entre os bancos dianteiros e o eixo traseiro) leva o R8 V8 Limited Edition de zero a 100 km/h em rápidos 4,6 segundos – o tempo é igual com o câmbio manual de seis marchas ou o robotizado R tronic. A Audi também oferecerá o pack Carbon, com peças da carroceria feitas de fibra de carbono.
- Na cabine, a série limitada de Le Mans deixa o R8 luxuoso e arrojado, com o painel inteiro revestido em couro Nappa preto, com seções vermelhas e costura pespontada na mesma cor. As primeiras unidades do R8 V8 Limited Edition serão entregues em outubro. Lá (no Reino Unido) o modelo terá preços entre R$ 220 mil e R$ 233,5 mil.
Fonte: Autonews

Jaguar presente em evento no Reino Unido.

A Jaguar, uma das marcas de veículos mais respeitadas do mundo, estará presente na 19ª edição do Festival Anual de Velocidade de Goodwood, no Reino Unido. O evento terá a exposição de veículos que marcaram o passado e presente da marca, com os modelos que definirão suas tendências para o futuro
Jaguar presente em evento no Reino Unido
Modelos atuais e lançamentos estarão no estande da empresa
O evento contará com a participação de modelos da linha atual da marca britânica, e pelas apresentações de algumas tendências em design e tecnologia que deverão nortear o futuro da fabricante. Modelos como o XKR-S, o mais veloz da linha atual, com capacidade para ir de zero a 100 km/h em menos de cinco segundos, serão sucesso absoluto.

Outro modelo que será exibido pela primeira vez ao público é o novo Jaguar XFR. O carro, que abriga um motor de 510 cavalos, foi considerado no começo do ano pelos jornalistas especializados como o que "melhor traduz um estilo de vida com completa liberdade".
Outra atração da Jaguar que deverá causar furor entre os presentes é o conceito C-X75, modelo superesportivo da marca que está sendo desenvolvido em parceria com a equipe Williams de F 1. O automóvel traz consigo todos os atributos de design, tecnologia e soluções em engenharia que deverão nortear o futuro da montadora nos próximos anos.
 
 Fonte: MotorDream

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Camaro ganha série Transformers,

Cupê esportivo será, pela terceira vez, um dos protagonistas da saga hollywoodiana,
GM/ Divulgação
Camaro Transformers é para quem quer ter um Bumblebee na vida real
O Chevrolet Camaro vive atualmente dias de glória. Após superar o arquirrival Ford Mustang nas vendas nos Estados Unidos, o cupê volta às telonas mundiais na próxima sexta (1º de julho). Pela terceira vez, o esportivo será um dos protagonistas da saga hollywoodiana Transformers, sob a carcaça do robô Bumblebee no novo longa da série “O Lado Oculto da Lua”. E a General Motors (lógico!) já preparou uma série especial para o muscle car.

O Camaro “Transformers Special Edition” já pode ser encomendado a partir da próxima sexta-feira. E não será exclusivo do mercado norte-americano: a série especial será oferecida mundialmente a todos os fãs do cupê e também do simpático robô Bumblebee. “A franquia Transformers ajudou o Camaro – e a Chevrolet – a ganhar uma nova geração de fãs pelo mundo”, confirmou o vice-presidente de marketing da marca, Rick Scheidt.


Feita apenas sobre as versões 2LT e 2SS com pintura amarela, a versão especial Transformers nada mais é que um pacote estético criado para deixar o Camaro igualzinho ao do filme – pilotado pelo ator Shia Labeouf, que vive o atabalhoado Sam Witwicky, garoto protegido por Bumblebee.
GM/ Divulgação
Costura amarela marca interior do modelo
O pack custa US$ 3 mil e adiciona as duas faixas pretas longitudinais, aerofólio traseiro e o símbolo dos Autobots (os robô bonzinho) no interior, nas laterais e nas rodas de liga leve de 20’’ pintadas em preto. Por dentro, há couro preto com costura amarela. Sob o capô, a série mantém o vigoroso bloco 3.6 litros V6 a gasolina de 316 cavalos.
Fonte:  Autonews

Lamborghini está próxima de novo modelo.

Acostumada a construir apenas superesportivos de dois lugares exclusivos, a Lamborghini deve enfim se decidir sobre o futuro modelo da marca que quebrará a tradição pela segunda vez - o controverso LM002 de 1982 foi a primeira. A marca está avaliando diversos protótipos de sedãs e crossovers esportivos para colocar apenas um deles em produção, contrariando diversos rumores que surgiram principalmente após a apresentação do sedã conceito Estoque em 2008.
Lamborghini está próxima de novo modelo
Sedã e crossover luxuosos disputam preferência da cúpula da marca que decarta produzir ambos

Novas especulações indicam que o mais cotado é o de um crossover com perfil semelhante ao de um BMW X6, mas notavelmente mais luxuoso e potente, como um Lamborghini deve ser. O modelo seria baseado na plataforma da próxima geração do Porsche Cayenne, que ainda deve demorar a surgir dado o lançamento recente da segunda. Essa opção vai de frente com a confirmação do retorno da Lagonda, protagonizado pela Aston Martin, e que deve dar origem a um crossover de alto luxo da marca inglesa.
 
Entretanto, a ideia do sedã parece mais evoluída dentro da marca, até por já existir um conceito bem elaborado e com comprovada aceitação pública. Além disso, a base do Estoque poderia ainda ser aproveitada num segundo modelo, um grand tourer de alto luxo com duas portas e motor dianteiro no estilo de uma Ferrari FF.
 
A decisão final deverá ser apresentada nos próximos meses, junto com o avanço do desenvolvimento do modelo escolhido. A intenção é apresentar o novo carro no ano do cinquentenário da marca, em 2013.
Fonte: MotorDream

Carro Ecológico a Hidrogênio em Cingapura.

Modelo é feito em fibra de carbono e irá competir na Shell Eco-Marathon. Veículo foi produzido como trabalho de conclusão de curso de engenharia.

Um estudante dirige o protótipo Proto NP-Distanza no hall de entrada da universidade politécnica Ngee Ann Polytechnic, em Cingapura. O carro ecológico apresentado nesta terça-feira (28) é alimentado por uma célula de combustível (hidrogênio), que foi projetado e fabricado por alunos do curso de Engenharia Mecânica e Design de Produto e Inovação para o trabalho de conclusão de curso. O modelo é feito em fibra de carbono e irá competir na Shell Eco-Marathon Asia 2011, que acontece no Circuito Internacional de Sepang, na Malásia entre os dias 6 e 9 de julho.  (Foto: ROSLAN RAHMAN/AFP) 
Um estudante dirige o protótipo Proto NP-Distanza no hall de entrada da universidade politécnica Ngee Ann Polytechnic, em Cingapura. O carro ecológico apresentado nesta terça-feira (28) é alimentado por uma célula de combustível (a hidrogênio), que foi projetado e fabricado por alunos do curso de Engenharia Mecânica e Design de Produto e Inovação para o trabalho de conclusão de curso. O modelo é feito em fibra de carbono e irá competir na Shell Eco-Marathon Asia 2011, que acontece no Circuito Internacional de Sepang, na Malásia entre os dias 6 e 9 de julho. (Foto: ROSLAN RAHMAN/AFP)
Fonte: autoesporte.com/G1/France Presse

DS2, o DS que faltava.

A Citroën parece estar se movimentando para desenvolver um modelo de entrada para a gama mais luxuosa da empresa. O DS2 promete agitar o segmento B premium. O fabricante francês pretende estender até os segmentos de entrada o conceito que fez muito sucesso no DS3 e que já originou o DS4 e o futuro DS5. Uma das inspirações para o DS2 será o conceito Revolte, mostrado no Salão de Frankfurt em 2009.   DS2, o DS que faltava
Novo pequeno de luxo leva a sofisticação aos segmentos de entrada
O mercado-alvo do novo carro é o ocupado principalmente pelo Fiat 500, menor que o DS3. O modelo também deve preencher a lacuna entre o C3 e o simplório C1 - cujo projeto de origem japonesa não inspira versões luxuosas. O futuro Mini Rocketman também está na mira do DS2.
O Revolte de 2009 mistura traços e curvas modernas, com proporções semelhantes ao lendário Citroën 2 Cavalli. Com pouco mais de 3,50 m, o DS2 tem uma linha de cintura elevada, quatro portas e quatro lugares. O habitáculo é recuado e o capô longo. A frente é agressiva e com um desenho singular e a traseira muito curta e esteticamente bem sucedida. O teto solar em lona dobrável é uma clara referência aos antigos modelos franceses, onde o acessório era muito comum.
 
  Sob o capô, certamente a última geração dos modernos motores HDi a diesel em arranjos tradicionais ou híbridos, além do e-HDi - chamado de micro hybrid. Uma versão totalmente elétrica também é uma possibilidade.
 Fonte: Infomotori-Itália/MotorDream

terça-feira, 28 de junho de 2011

Audi faz R8 Spyder cromados para caridade.

- A Audi doou dois R8 Spyder cromados para a fundação do cantor inglês Elton John que cuida de pacientes com o vírus da Aids. Os dois carros foram leiloados no baile de gala anual na casa do cantor em Londres e o dinheiro arrecadado foi revertido diretamente para a fundação. O leilão das duas unidades somou cerca de R$ 1,5 milhão para a entidade.
Audi faz R8 Spyder cromados para caridade
Conversíveis foram leiloados em evento beneficente para fundação para Aids de Elton John
- No Salão de Frankfurt de 2009 a Audi já havia mostrado um R8 V10 cupê também cromado em referência a tradicional cor prateada dos carros de corrida alemães antigos. Um dos R8 Spyder de Elton foi vendido pelo equivalente a R$ 640 mil, enquanto o outro rendeu uma quantia semelhante e foi doado novamente à fundação para um novo leilão futuro. Os carros são equipados com o V8 de 4.2 litros e 420 cv dos R8 "normais".
 Fonte: MotorZine

Bugatti vende último Veyron.

- A Bugatti anunciou a venda do último exemplar do superesportivo Veyron. O modelo ficou conhecido por ser o carro mais rápido à venda no mundo graças ao enorme motor W16 de 8.0 litros e quatro turbos que produz os tão famosos 1001 cv de potência. Lançado em 2004, desde o início a produção do carro era limitada a 300 unidades, vendidas ao longo de sete anos.
Bugatti vende último Veyron
Produção do carro mais rápido do mundo chega ao fim após 300 unidades fabricadas
- O modelo é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 2,5 segundos e atingir os 407 km/h. Tais marcas são superadas apenas pelo Veyron Supersport, com 1.200 cv extraídos do mesmo motor e modificações aerodinâmicas que o permitem chegar aos 431 km/h. A partir de agora a única opção na linha é o Veyron Grand Sport - o conversível mais rápido do mundo - que continua à venda até serem esgotadas as últimas unidades. O nome do comprador não foi divulgado, mas o carro será entregue em meados de outubro na Europa.
Fonte: MotorDream

Toyota Hilux reestilizada: Picape e utilitário recebem último retoque antes da estreia da nova geração, em 2014.

Toyota
Hilux e SW4 receberão pequenas mudanças estéticas antes da nova geração, prevista para 2014
A Toyota revelará essa semana no Salão do Automóvel da Austrália, em Melbourne, os modelos Hilux e SW4 redesenhados. De acordo com o Argentina Auto Blog, esta será a última reestilização da Hilux (a primeira foi em 2008) antes da estreia da nova geração, prevista para 2014. A ideia é manter os utilitários atualizados principalmente para a chegada das novas gerações de Chevrolet S10 e Ford Ranger, no ano que vem.
- Apesar de a Toyota chamar a atualização de “Big Major Change” (maior mudança), tanto a Hilux quanto o utilitário esportivo SW4 exibem modificações tímidas. A maior delas fica concentrada na dianteira, que tem novos faróis e grade frontal, já com as barras horizontais arqueadas (que simulam um sorriso). Atrás, as lanternas aparecem encorpadas e com lentes translúcidas escurecidas. Os faróis também parecem usar molduras negras.
Toyota
Dianteira traz novos faróis e grade redesenhada, além de novo para-choque
- Entre outras mudanças, capô e para-choque também terão novo desenho. Mas a maior modificação, ao menos para o mercado brasileiro, será a adoção da tecnologia flex no motor 2.7 16V a gasolina de 158 cavalos – não foram revelados dados técnicos até o momento. Na Argentina, onde é fabricada, a dupla Hilux/SW4 chega redesenhada às lojas em outubro. No Brasil, a estreia acontece na sequência. 
Fonte:  Carlos Cristófalo/Argentina Auto Blog

Carro ou E.T.?


O fascínio do homem por extraterrestres, naves voadoras e seres de outros planetas é antigo. O cineasta Georges Méliès já mostrava as aventuras desbravadoras do espaço em “A Viagem à Lua”, de 1902. Depois dele vieram muitos outros sucessos, como “Guerra nas Estrelas”, “Jornada nas Estrelas” e uma infinidade de títulos. Enquanto não é possível ter uma nave particular e sair rodando pelo universo, o carro “extraterrestre” já pode ser comprado no eBay por US$ 86 mil.
- O Extra-Terrestrial Vehicle ou ETV é uma customização futurista criada por Mike Vetter e sua empresa norte-americana The Car Factory, com base a feita a partir do Chevrolet Aveo. Em várias cores, o carro cheio de curvas arredondadas pode não sair do chão, mas deve satisfazer a imaginação de muita gente por ai… 
Fonte:  Ana Lucia Silva/autoesporte

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Formula Indy: Marco Andretti leva melhor sobre Tony Kanaan e ganha GP de Iowa.

- Piloto ultrapasa ex-companheiro a 18 voltas do fim e vence primeira corrida na Fórmula Indy em quase cinco anos

Marco Andretti, GP de Iowa Fórmula Indy (Foto: AP) 
Marco Andretti comemora depois de sua vitória noGP de Iowa (Foto: AP)
- Em uma prova muito disputada, Marco Andretti levou a melhor sobre o brasileiro Tony Kanaan, seu ex-companheiro de equipe, e ganhou o GP de Iowa da Fórmula Indy na noite deste sábado. Assumindo a ponta a 18 voltas do fim, o americano de 24 anos conquistou sua primeira vitória em quase cinco anos.
- A partir da volta 188 (das 250 totais), quando Andretti chegou à liderança pela segunda vez na prova, a ponta trocou de mãos outras quatro vezes. O americano voltou ao primeiro lugar na volta 232 e suportou a pressão do brasileiro até o fim.
- Parabéns para ele. Ele fez um grande trabalho. Foi uma corrida divertida. Uma dura batalha para nós e ótima corrida para os fãs. Você sempre quer vencer, mas se você terminar em segundo, sabendo que você fez tudo que podia, lutando e dando o seu melhor, você não pode ficar chateado. A equipe definitivamente está na direção certa - afirmou Tony.
Marco Andretti e Tony Kanaan, GP de Iowa Fórmula Indy (Foto: Getty Images) 
Marco Andretti e Tony Kanaan conversam após a disputa do GP de Iowa, neste sábado (Foto: Getty Images)

- Helio Castroneves, que foi obrigado a fazer um pit stop extra por causa de um pneu furado, chegou no sétimo 7º lugar. Vitor Meira foi o 18º depois que abandonou porque seu carro foi danificado por sujeiras causadas pelo acidente que tirou sua compatriota Bia Figueiredo da prova.
- A próxima etapa da Indy acontece no circuito de rua de Toronto, no Canadá, no dia 10 de julho.
Fonte: GLOBOESPORTE.COM/Newton-Estados Unidos

Motocross Estilo Livre: Red Bull X-Fighters Roma – Gladiadores do FMX detonaram todas no moderno Circus Maximus!

Visual do estádio Olímpico, transformado em Circus Maximus do Motocross Estilo Livre…
Roma / Itália / Red Bull X-Fighters World Tour 2011/Stadio Olimpico.  12 atletas dos melhores atletas do freestyle motocross mundial converteram o  Estádio  Olimpico de Roma em um moderno Circus Maximus na oite dessa  sexta-feira. Na frente de 45.000 espectadores Nate Adams (EUA), vencedor da etapa brasileira no mês passado,  usou todos os seus  truques para ganhar o título de novo César romano. Andre Villa (NOR) ficou em segundo lugar e o “Garoto Mágico”  Josh Sheehan (AUS) saiu do nada para tomar o terceiro lugar na terceira parada do Red Bull X-Fighters 2011.
Flip Stripper de Nate Adams, o novo “imperador romano”…
 
ROMA (Itália) – A ôla não parava de rolar no meio da multidão no Stadio Olimpico, com  Nate Adams e Andre Villa  acelerando para o início da batalha  final em duas rodas e um motor. Quando finalmente entrou na pista, Adams realizou  18 saltos sem falhas no prazo de 120 segundos para conquistar o júri, pegando sua quinta vitória na história de 11 anos do Red Bull X-Fighters. “Foi a vitória mais difícil na minha carreira, pois eu tive um acidente sério na qualificação”, o americano de 27 anos de idade, disse depois.
Andre Villa voa sobre sua Yamaha em um salto Holly Man…
No maior circuito  construído em Itália – com 11 rampas de terra e 8 kickers de metal - os atletas se esforçaram para ultrapassar seus limites, saltar distâncias de até 30 metros, a 15 metros de altura. Outro favorito,  Dany Torres (ESP), que ganhou em Roma no ano passado, e melhor resultado de sempre em qualificatórias, causou arrepios na  multidão  quando  caiu no final de um pouso mal sucedido na segunda rodada. Sua moto saiu da pista  e bateu em uma barreira.
Dany, o melhor na quali, tombo e zero pontos na final. Escola de Simoncelli???
Torres chegou a Roma com cinco ossos quebrados que não estava  completamente curado, mas mesmo assim venceu a qualificação. A julgar pela forma como ficou seu  o tornozelo direito,  ele vai deixar Roma com seis ossos quebrados. O espanhol estava  confiante e parecia  pronto para a batalha, mas teve que adiar a luta  pela vitória para a próxima parada, na frente de sua torcida, em Madri.
O australiano Robbie Maddison mostrou o salto Volt, mas mesmo assim não chegou às finais…
  Adams ampliou sua vantagem na classificação geral no Red Bull X-Fighters  após um terceiro lugar no Dubai  e vitórias em Brasília (BRA) e RomaEle agora tem  40 pontos  de frente sobre Andre  Villa. O norueguês ainda tem  tempo para pegar Adams nos três eventos  restantes em Madrid (ESP / 15 de julho), Poznan (POL / 06 de agosto) e Sydney (AUS / setembro 17).
Hart Attack Flip Indy de Josh Sheehan…
Os resultados finais em Roma: 1. Nate Adams (EUA), 2. Andre Villa (NOR), 3. Josh Sheehan (AUS), 4. Blake Williams (AUS), 5. Dany Torres (ESP), 6. Eigo Sato (JPN), 7. Adam Jones (EUA), 8. Robbie Maddison (AUS), 9. Javier Villegas (CHI), 10. Maikel Melero (ESP)
 
Classificação Geral (após 3 de 6 eventos): 1. Adams (USA/265 pontos), 2. Villa (NOR/225), 3. Torres (ESP/145), 4. Maddison (AUS/135), 5. Blake Williams (AUS/135)
Nos vemos em Madri!
Fonte: Red Bull Communications

Motovelocidade: Spies vence pela 1ª vez na MotoGP em nova lambança de Simoncelli.

- Após tirar de cena Pedrosa em Le Mans, italiano prejudica outro espanhol, Lorenzo. Americano aproveita-se para ganhar, com Stoner em segundo.
- Antes, Dani Pedrosa havia sofrido com Marco Simoncelli. Atingido pela moto do italiano no GP da França, em Le Mans, o espanhol perdeu três provas - inclusive a da Holanda, neste sábado - e ficou distante do título mundial da MotoGP. Agora, foi a vez de outro espanhol ser alvo de Simoncelli: Jorge Lorenzo, que teve sua Yamaha abalroada pelo italiano na primeira volta da prova disputada em Assen. Isso no GP em que a equipe comemorava 50 anos na motovelocidade.
- Melhor para o americano Ben Spies, que venceu a corrida, chegando ao primeiro triunfo na principal categoria das motos - com outra moto da Yamaha Factory. Melhor ainda para o australiano Casey Stoner, que terminou em segundo e abriu vantagem no Mundial. Agora, ele soma 136 pontos contra 108 de Lorenzo, que ficou em sexto em Assen. Até este sábado, a diferença entre eles era de 18 pontos - passou para 28.
- Numa prova com o polêmico Simoncelli, da Honda Gresini, na pole, a confusão surgiu logo na quarta curva. O italiano envolveu-se num choque com a moto de Jorge Lorenzo, da Yamaha Factory. No chão, após erro de Simoncelli, o espanhol chegou a dar um empurrão no adversário para recuperar sua máquina e seguir adiante.
Moto GP Marco Simoncelli Jorge Lorenzo (Foto: Reuters)Simoncelli e Lorenzo levantam-se após mais uma trapalhada do italiano na MotoGP (Foto: Reuters)
- Ben Spies, que saíra em segundo lugar, pulou para a liderança. Lorenzo, quarto no grid de largada, caiu para 13º. Simoncelli, para 14º. O americano manteve o domínio da prova holandesa, com Stoner, da Honda HRC, líder do campeonato, na segunda posição. Na metade, após 13 das 26 voltas, Lorenzo tinha se recuperado - estava em oitavo. Mas não conseguiu melhor sorte. Terminou em sexto. Simoncelli foi o nono.
- O GP da Holanda foi a segunda prova em que Simoncelli saiu na pole position. E a segunda em que errou feio. Na Catalunha, ele perdeu posições logo na saída e caiu para sétimo. Acabou a prova em sexto na ocasião.
- Após o choque com Pedrosa em Le Mans, Simoncelli foi ameaçado de morte por torcedores espanhóis e teve de se justificar perante a Direção de Corrida para explicar o episódio. O espanhol teve de passar por cirurgia na clavícula e perdeu as provas da Catalunha, SIlverstone e Assen. No fim, Simoncelli foi apenas advertido pela MotoGP.
- Confira a classificação do GP da Holanda
1- Ben Spies - 41m44s659
2- Casey Stoner - a 7s697
3- Andrea Dovizioso - a 27s506
4- Valentino Rossi - a 30s684
5- Nicky Hayden - a 43s172
6 - Jorge Lorenzo - a 44s536
7- Colin Edwards - a 1m08s112
8- Hiroshi Aoyama - a 1m10s753
9- Marco Simoncelli - a 1m24s925
10- Toni Elias - a 1m26s216
11- Alvaro Bautista - a 1m38s466
12- Hector Barberá - a 1 volta
13- Kousuke Akiyoshi - a 1 volta
14 - Cal Crutchlow - a 2 voltas
Randy de Puniet - não classificado
Karel Abraham - não classificado
Fonte: SporTV.com/ Assen-Holanda/globoesporte.com

Formula 1: Alemão da RBR mantém os pés no chão e diz não pensar em título, mas continuaria na liderança mesmo se não pontuasse nas próximas três corridas.

Com 77 pontos de vantagem, Vettel garante: ‘Nem olho para a diferença’

Ainda que Sebastian Vettel resolvesse ficar em casa descansando nas três próximas corridas da Fórmula 1, sua liderança no campeonato continuaria intacta. Mesmo com 77 pontos de vantagem para os vice-líderes Mark Webber e Jenson Button, o alemão da RBR manteve os pés no chão após a vitória tranquila no GP da Europa, neste domingo. Pensar em título? Ainda não, ele garante.
- Nem olho para a diferença de pontos, é uma temporada muito longa. É claro que estamos tendo um início fantástico neste ano. Para continuar assim, precisamos nos concentrar em cada corrida – explicou Vettel, que venceu pela sexta vez em oito provas neste ano.
Os pilotos da F-1 descansam no próximo fim de semana e voltam à pista no dia 10 de julho, para o GP da Inglaterra, em Silverstone. O piloto alemão, atual campeão do mundo, quer se manter competitivo a cada prova, mas já admite que não precisa correr tantos riscos em busca de vitórias daqui em diante.
Vettel GP de Valência (Foto: Reuters) 
Vettel e a rotina: festejar vitórias (Foto: Reuters)
- Não vamos correr tantos riscos para conseguir as vitórias, mas o objetivo ainda é vencer sempre. Se chegar um dia em que não formos competitivos o bastante, mas formos bons o suficiente para chegarmos em terceiro, então vamos chegar em terceiro, e não em sétimo.
Com o companheiro Mark Webber chegando em terceiro lugar em Valência, Vettel festeja o bom desempenho da RBR no campeonato.
- Neste momento todos nós estamos aproveitando. É incrível a evolução que conseguimos nos últimos dois ou três anos. Cada departamento da equipe ficou muito profissional. Precisamos continuar fazendo o que fazemos, com fome de vitórias – concluiu.
 
Fonte: GLOBOESPORTE.COM/ Valência-Espanha

domingo, 26 de junho de 2011

Além da lenda: seis superesportivos preparados.

Acessórios mudam visual e elevam (ainda mais!) a potência de bólidos que muitos julgam ser irretocáveis.
Reprodução Internet
MTM R8 V10 Biturbo
A carroceria cromada do R8 é bacana, mas você vai esquecê-la daqui a pouco. Isso porque esse Audi usa um V10 biturbo com 777 cv, que o levam aos 100 km/h em 3 segundos e aos 200 km/h em 9,3 s. No tempo que você leu esta última frase, ele já chegou à máxima de 350 km/h. Para acompanhar tanta força, há rodas forjadas aro 20 e um kit aerodinâmico de fibra de carbono.
Reprodução Internet
Ferrari 458 Novitec
Tendência em todo o mundo, a cor branca estampa a carroceria dessa Ferrari 458 feita pela Novitec. Mas há espaço para os detalhes na cor preta, como rodas, saias e teto. O motor 4.5 V8 passou dos 570 cv originais para 609 cv, com um torque de 58 kgfm. Na pista, a máquina italiana prova que as melhorias fizeram bem: chega aos 330 km/h de velocidade máxima.
Reprodução Internet
Mansory Porsche Cayenne
Já imaginou um utilitário com 690 cv? Pois a suíça Mansory fez isso com um Cayenne. Depois das modificações, o Posche chega aos 100 km/h em 4,4 segundos, com velocidade máxima de 300 km/h. Há duas opções de rodas aro 22, além de dois aerofólios e um kit aerodinâmico de fibra de carbono. O mesmo material também é encontrado por todo o interior do jipão.
Reprodução Internet
Mansory Maserati GTS
Extravagância define a personalização desse cupê italiano, que, além da carroceria vermelha, ganhou rodas e volante da mesma cor. Destaque também para os bancos de couro com costura no formato de losangos e para o motor, que recebeu um leve upgrade. Chegou aos 470 cv com um novo sistema de captação de ar e remapeamento da injeção eletrônica. As rodas são aro 20 na dianteira e 21 na traseira.
Reprodução Internet
Lamborghini Aventador LP760-2 Oakley Design
A potência subiu dos 700 cv para 770 cv graças a um novo mapeamento da injeção do motor V12. Mas a grande alteração desse Aventador é a retirada da tração integral (restou apenas a traseira), o que aliviou o peso do bólido em 85 kg. A diferença visual é discreta, incluindo teto de fibra de carbono, novo difusor traseiro e rodas exclusivas. Apenas cinco unidades serão produzidas, sendo que três já foram vendidas.
Reprodução Internet
Hamman Hawk SLS AMG
A AMG passou anos desenvolvendo seu superesportivo e, mesmo com 571 cv, há quem não esteja satisfeito. A alemã Hamman mudou completamente o visual do cupê. A carroceria na cor bronze contrasta com a tampa do porta-malas e o capô de fibra de carbono. Os para-choques e as rodas aro 21 também são novos. Já o motor passou a render 636 cv, levando o SLS aos 100 km/h em 3,6 segundos.
Fonte: Ricardo Sant'Anna/AutoEsporte/AutoNews

Honda VFR 1200 F - Moto que pensa.

- Equipada com motor de 172,7cv, câmbio automatizado, dupla embreagem, freios C-ABS e carenagem com duas peles, nova Sport Touring concilia tecnologia com prazer de pilotar
Motor tem quatro cilindros em V, refrigeração líquida e injeção eletrônica para gerar números de esportiva (Caio Mattos/Honda/Divulgação)
Motor tem quatro cilindros em V, refrigeração líquida e injeção eletrônica para gerar números de esportiva
- Itupeva (SP) - Apresentada como conceito no salão da Alemanha, Intermot, de 2008, a Honda VFR 1200F chegou ao mercado apenas dois anos depois e, ao Brasil, a partir deste mês, antes mesmo dos Estados Unidos. Entretanto, a agilidade comercial não é uma simples deferência ao Brasil, mas a constatação de que o nosso mercado é maior que praças tradicionais como Espanha e outros países europeus que atravessam aguda crise. Alheio a isso, a VFR 1200F é uma Sport Touring revolucionária e impregnada de tecnologia, que eliminou sumariamente o pedal de câmbio e o manete de embreagem, substituídos pelo câmbio automatizado nos modos D (drive) e S (sport), além da opção do manual, operado por meio de gatilhos nas pontas dos dedos, dupla embreagem e freios C-ABS, que impedem o travamento e distribui a frenagem entre as duas rodas.
- A eletrônica foi a responsável por exorcizar o medo de perder um dos maiores prazeres da pilotagem, que é o domínio do câmbio. Com o sistema de gatilhos, semelhante aos usados pelos automóveis e acionado pelo indicador e polegar da mão esquerda, o piloto continua totalmente no comando se quiser. Se o negócio for mordomia, basta optar pelo câmbio automatizado e deixar a moto pensar por ele. A dupla embreagem, desenvolvida até então somente para carros e pela primeira vez empregada em motocicletas, consiste em deixar automática e previamente engatada em uma das duas marchas, seguinte e a anterior. Assim, ao solicitar cada uma das seis marchas, a troca é feita instantaneamente e de forma bastante suave.
Troca de marchas sem pedal ou manete causa estranheza e exige prática  (Caio Mattos/Honda/Divulgação)
Troca de marchas sem pedal ou manete causa estranheza e exige prática
PELE A montadora desenvolveu um sistema de carenagem que chamou de Double Layer (dupla pele), com uma espécie de cobertura, que, além de permitir a entrada de ar, facilitando a refrigeração e escoamento do ar quente por entre as carenagens, esconde as fixações, parafusos e emendas externas, deixando o visual limpo e fluido, incluindo o deslocamento das setas para junto dos retrovisores. O farol lembra uma gorda letra Y gigante e tem moldura integrada à carenagem. Seguindo a tendência mundial de estilo, a traseira é afilada. As rodas são em liga leve, com desenho bastante agradável. A transmissão final por eixo cardã, com sistema monobraço, somente de um lado, deixa a roda traseira mais exposta, realçando sua beleza, e faz conjunto com o escape curto e grosso, para ajudar a rebaixar as massas.

O motor é um quatro cilindros em V, com 16 válvulas, desenvolvido especialmente para o modelo, aproveitando a larga experiência em competições da marca. Tem inclinação de 76 graus, 1.236,7cm³, refrigeração líquida e injeção eletrônica, e fornece 172,7cv a 10.000rpm e torque de 13,2kgfm a 8.750rpm. Na hora de enrolar o cabo, mais eletrônica. Sensores identificam o grau de giro do acelerador, rotações do motor e marcha engatada, processando as informações para cumprir os desejos do piloto o mais rápido e adequadamente possível, curiosamente sem o próprio cabo. O interessante é que 90% do torque já está disponível a 4.000rpm, deixando o motor sempre esperto. Porém, na hora de andar, um pouco de atenção é necessário.
ANDANDO Sentar em uma motocicleta esportiva com quase 173cv e não ver o pedal de câmbio e o manete de embreagem é muito estranho. Mais estranho ainda é ter que abaixar o freio de mão e engatar a primeira em um botão no manete direito. Uma rotina que contraria o modo clássico de pilotar, comandado automaticamente pelo cérebro. Os primeiros movimentos com a VFR 1200F exigem disciplina para não cair na tentação de procurar a embreagem para modular o motor, especialmente em baixas velocidades e manobras. Porém, basta rodar uma pequena distância para o novo modo também ser assimilado automaticamente pelo cérebro e virar um prazer. Cambiar no modo manual fica bem divertido, já que o sistema de dupla embreagem faz o trabalho ainda mais rápido do que pelo método tradicional, permitindo explorar intensamente as possibilidades da moto, inclusive de forma radical. Já o modo automatizado é meio burocrático, cumprindo seu papel sem tanta emoção.
 (Painel é completo, com conta-giros em destaque, ladeado por telas de LCD)
- O freio de estacionamento (ou de mão) é necessário, pois, sempre que é desligada, entra o neutro, que não segura a moto. A posição de pilotagem, apesar de esportiva, é surpreendentemente confortável, justificando sua porção touring para viagens. O painel é completo, mas falta a luzinha para indicar o freio de estacionamento acionado, já que pode ficar parcialmente puxado. Os freios são extremamente precisos e também pensam para o piloto. O sistema C-ABS distribui a frenagem entre as duas rodas, conforme a necessidade, acionando progressiva e combinadamente os pistãos das pinças de freios. Na dianteira, dois discos de 320mm de diâmetro, com pinças de seis pistãos, e, na traseira, um disco simples de 276mm de diâmetro. A suspensão dianteira tem tubos de 43mm de diâmetro e 120mm de curso. A suspensão traseira tem único amortecedor em monobraço, com 130mm de curso. O tanque tem capacidade para 18,5 litros e o peso a seco é de 264kg. O preço sugerido, sem frete e seguro, é de R$ 69.900.
Fonte: Téo Mascarenhas/Estado de Minas

MV Agusta: Italiana na selva.

MV Agusta - Italiana na selva Depois de firmar parceria com a fábrica nacional de motocicletas Dafra, a marca MV Agusta anuncia que produzirá em Manaus a superesportiva F4 e a naked Brutale.
A Brutale tem farol assimétrico e propulsor propositalmente à mostra (Fotos: Dafra MV Agusta/EM/D.A PRESS)
A Brutale tem farol assimétrico e propulsor propositalmente à mostra
 - A marca nacional de motocicletas Dafra, instalada em Manaus, Amazonas, em 2008, anunciou ontem uma parceria com a badalada italiana MV Agusta, para produzir em sua planta, e também comercializar, os sofisticados modelos Brutale 1090 e F4. A Dafra, apesar do pouco tempo de mercado, já atingiu o terceiro posto no ranking brasileiro de comercialização, com uma política bastante agressiva. Além dos acordos com a China para produção de vários modelos, também fez parcerias com a indiana TVS (modelo Apache), e Haojue, com a taiwanesa SYM, para produção do scooter Citycom 300, e também produz para a BMW os modelos G 650 GS, F 800R e F 800 GS, que pela primeira vez na história da marca são fabricados fora da Alemanha.
- A italiana MV Agusta segue a mesma trilha rumo à floresta amazônica. Pela primeira vez desde sua fundação, no pós-guerra, em 1945, vai produzir seus modelos fora da fábrica de Varese, no Norte da Itália. A história da MV Agusta começa com a paixão de seu fundador, conde Domenico Agusta, pela velocidade e pelas motocicletas (e também por helicópteros), através de sua Meccanica Verghera (MV), que associada a seu sobrenome, batiza as motos, que também fizeram sucesso nas pistas, conquistando nada menos que 37 títulos mundiais de fabricante e 38 de pilotos, especialmente com a lenda Giacomo Agostini. A combinação entre a sofisticação das motocicletas com as vitórias transformaram a marca MV Agusta em um mito.
 
 RECOMEÇO Toda a badalação, entretanto, não foi suficiente para conter a crise instalada depois da morte do conde, no início da década de 1970, culminando com a paralisação da produção. O renascimento chegou em 1992, quando foi comprada por Cláudio Castiglioni, dono também da Cagiva, que junto com o filho Giovanni promoveu a recuperação da marca. A reestreia foi em grande estilo, com o lançamento do modelo superesportivo F4, em 1997, equipado com motor de quatro cilindros em linha, desenvolvido com ajuda da Ferrari e desenhada pelo festejado projetista Massimo Tamburini. Em 2008, a marca foi novamente vendida para a americana Harley-Davidson, interessada em aumentar sua participação na Europa.
- Dois anos depois, voltou para a família Castiglioni, vendida pela Harley-Davidson, afetada pela crise mundial. Aperfeiçoado ao longo do tempo, o modelo F4 e sua versão naked, ou pelada, sem as carenagens, batizada de Brutale, serão produzidos e comercializados aqui. Para tanto, parte do departamento de engenharia da Dafra passou por um treinamento na fábrica da MV Agusta na Itália, para adaptação dos modelos às condições brasileiras, assim como técnicos da marca italiana vieram na mão inversa planejar os ajustes na linha de produção, que será do tipo CKD (completamente desmontadas), para serem montadas e ganhar o mercado. Nesse processo, com status de nacional, os custos são reduzidos, proporcionando uma melhor condição de comercialização.
MOTOS A chegada da premium MV Agusta confirma o Brasil como mercado emergente, que também atraiu recentemente marcas como a Harley-Davidson, KTM e Kawasaki, entre outras, além das veteranas japonesas Yamaha e Honda. O início da comercialização e os preços ainda não estão definidos, mas não serão de longo prazo. O modelo F4 conta com motor de quatro cilindros em linha, com 998cm³, equipado com injeção eletrônica e refrigeração líquida, que desenvolve 186cv a 12.900rpm e um torque de 11,4kgfm a 9.500rpm. Os freios são a disco, com pinças Brembo, e as rodas em liga leve, com aros de 17 polegadas. A suspensão dianteira é invertida, e a traseira, mono, em balança monobraço. O painel é inteiramente digital e os faróis usam lâmpadas de xenônio.
- A Brutale (ou brutal) é uma versão da F4 sem carenagem. O motor, com a mesma arquitetura de quatro cilindros em linha, mas com capacidade aumentada para 1.090cm³, foi retrabalhado para suprir as necessidades do segmento. A potência é de 144,2cv a 10.300rpm, e o torque de 11,2kgfm a 8.100rpm. O torque aparece mais cedo, já que o modelo não é uma superesportiva pura, como a irmã F4. O desenho, porém, é agressivo, com grande farol de formato assimétrico e setas integradas aos retrovisores. As rodas são de liga leve, aros de 17 polegadas. Os freios são a disco, com pinças Brembo. O guidão conta com amortecedor de direção e as luzes da lanterna com luzes do tipo LED.
Modelo superesportivo F4 tem motor desenvolvido com ajuda da Ferrari
Modelo superesportivo F4 tem motor desenvolvido com ajuda da Ferrari
Fonte: Téo Mascarenhas/Estado de Minas

Outras Matérias:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...