sábado, 9 de junho de 2012

Nova Yamaha YZF-R1 chega ao Brasil como modelo 2013.

Inédito sistema de tração com sete modos, que em combinação com os três modos de condução – “STD”, “A” e “B”, oferece 21 diferentes posibilidades de combinações. Combinada com o propulsor do tipo Crossplane atua sem perdas para uma condução esportiva. Novo mapeamento de injeção eletrônica que entrega de modo progressivo, constante e controlada a potência, principalmente em rotações mais elevadas.

 Um maior controle e desempenho otimizado pelo piloto, a R1 conta com relógio e cronometro. No itém segurança conta agora com a função pisca-alerta.
 Alinhada as tendências mundiais o conjunto da carenagem recebeu novos faróis e luzes de posição de LED.
 A Yamaha YZF-R1, que já estava repleta de tecnologias derivadas da campeã YZR-M1 das pistas de MotoGP,  agora foi atualizada com mais inovações da Yamaha YZR-M1 do atual líder do mundial de MotoGP.
 A maior adição é um inédito Sistema de Controle de Tração (TCS) com sete níveis de atuação que em conjunto com uma nova ECU optimizada – remapeada, para a aceleração e controlabilidade em médias e altas velocidades. Essas inovações somadas aos três níveis de controle de respostas – função D-Mode,  proporciona ao piloto 21 diferentes opções disponíveis, para se adaptar às suas preferências de condução. A grande variedade de configurações permite que o Sistema de Controle de Tração da R1, compensa as sutis mudanças da área de contato entre o pneu e o piso.

 Piloto Marcos Branco (primeiro contato) - “Moto dócil com controle de tração ligado, parecendo uma 600cc… Agora qualquer um pilota; a eletrônica minimiza o erro do piloto….. Fique ligado para ver o teste R1 2013″
Além disso, como consequencia o sistema auxilia na redução do desgaste dos pneus. Outras mudanças influenciadas pela Yamaha M1 no MotoGP inclui uma nova mesa superior e pedaleiras com melhor ergonomia e aderencia a sola do calçado.
 A R1 2013 também recebeu uma nova carenagem superior, com um farol revisado – com mecanismo semelhante ao da Yamaha XT 1200 Super Ténéré, e estilo mais moderno e agressivo, novas luzes de posição em LED para um olhar mais ameaçador e distinto, e novas tampas em forma de hexágono sobre o silencioso e proteções anti-queimadura.
 
O chassi Deltabox de alumínio e com um estilo agressivo, trouxe a essa geração da YZF-R1 um olhar novo e radical trazendo tecnologia inovadora para a categoria. Da mesma forma que a antiga geração da YZF-R1 lançou um novo padrão na categoria, a geração atual estabelece um novo marco para a categoria supersporte de 1.000 cc.
 O motor
 Os engenheiros da Yamaha optaram por soluções mecânicas com características como; alta performance, motor compacto e com virabrequim do tipo crossplane, o que proporciona características de torque excepcionalmente puro e altos níveis de tração. Desta forma, as características do propulsor de torque linear e controlável, constituem a própria essência da YZF-R1.
Dispondo de um motor de 998cc completamente influenciado pelo desenvolvimento da  campeã Yamaha YZR-M1, o propulsor de alta tecnologia desenvolve 182 cv a 10.000 RPM. De fato, na sua longa e ilustre história – vide Nasce um Ícone abaixo, o motor da R1 nunca se beneficiou de tanta tecnologia do MotoGP como atualmente.
 
O motor de 270 ° irregulares – 180 °, 90 °, 180 ° de intervalo, transmite uma sensação mais precisa e imediata de controle sobre a disponibilidade imediata do torque . Além disso, a entrega linear de torque inspira maior confiança, o que faz com que cada virada no punho do acelerador, transmita de maneira vigosa, porém sutil, toda entrega da força ao pneu traseiro. O resultado deste torque proporciona níveis anteriormente inatingíveis de tração nas curvas e de desempenho incomparável.
 
Para acentuar o ganho de performance foram otimizados os sistemas de suspensão e freios e o estilo radical e agressivo que enfatiza a YZF-R1, assim como a concentração das massas
Vídeo mostrando as novidades do modelo R1 2013 e uma volta na pista em Londrina/PR com o Piloto Marcos Branco
 Nos próximos minutos vídeo estará disponível….
YZF-R1, pura evolução
 1998 (Brasil)
A primeira R1 revolucionava o conceito de superesportivas. Oferecia 150 cv a 10.000 rpm, quadro Deltabox II, entre-eixos de apenas 1395 mm, pesando  somente 177 kg.
 2000
 Com mais de 150 alterações em todo o conjunto, a R1 ficou ainda mais leve (175 kg) e mais rápida. Ganhou um escapamento feito de titânio.
 2002
 A R1 chegava a sua segunda geração, equipada com uma moderna injeção eletrônica de combustível e o quadro Deltabox III. Visualmente, ficava ainda mais agressiva e ganhava lanterna com LEDs
 2004
 Além do novo visual, com duas saídas de escape sob o banco, a terceira geração da R1 alcançava a incrível marca de 1:1 na relação peso potência: eram 172 cv
de potência máxima (sem indução direta de ar)
 2006
 Nascia a quarta geração da R1 com diversas alterações no motor e com o novo quadro Deltabox V. Ela ganhava 3 cv a mais — chegando a incríveis 175 cv a 12.500 rpm
 2007/2008
 A quinta geração da R1 inaugura um novo motor com quatro válvulas por cilindro e traz diversas inovações oriundas da Yamaha M1 de Valentino
Rossi: duto de ar variável, acelerador eletrônico e embreagem anti-bloqueio
 2009
A maior alteração da R1 é o propulsor do tipo Crossplane de 182 cv a 12.500 rpm identico ao adotado desde o ano anterior pela Yamaha M, de MotoGP, também adota um controle de modo velocidade com três diferentes acertos.
 2012/2013
Modelos R1 no Brazil 2013 em 3 cores - Branco, Preto e Azul
 Mais intimamente associada a YZR-M1 a YZF-R1 adota uma inédita luz de posição em LED – alinhado as tedências mundiais no segmento de quatro rodas. Sem abrir mão do caráter esportivo, o modelo ganhar sistema de controle de tração de sete níveis.
Fonte: MotoEsporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Matérias:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...