terça-feira, 4 de setembro de 2012

Volkswagen Touareg R-Line ganha visual esportivo por R$ 333,7 mil.

Touareg
Por fora, o R-Line se diferencia por para-choques dianteiros mais agressivos (e baixos) e rodas maiores. Divisões esportivas geralmente acrescentam boas doses de diversão a carros com desempenho já apimentado. Veja este novo lançamento da Volkswagen no Brasil: com rodas de 20 polegadas, para-choques e volante exclusivos, o modelo equipado com um V8 de 340 cv seria um convite para acelerar à vontade. O único detalhe é que o novo Touareg R-Line não é exatamente um esportivo.
Pesando mais de 2 toneladas, a nova geração do SUV de fato impressiona por seu desempenho — segundo a fábrica, a aceleração de 0 a 100 km/h é cumprida em 6,5 s, com velocidade máxima de 245 km/h. Só que seu porte avantajado (são 4,8 m de comprimento por 1,94 m de largura) e sua proposta off-road são diametralmente opostos aos preceitos da linha R-Line

Mas justiça seja feita: assim como o proprietário que desembolsar os R$ 333,7 mil cobrados pelo modelo (R$ 24 mil a do que a versão V8) dificilmente andará por algo mais off-road do que uma trilha de terra batida, ele também não levará o Touareg R-Line ao autódromo mais próximo. Assim como seus concorrentes, este SUV prima muito mais pelo conforto e luxo, com a vantagem de ter alguns itens extras.


Personalidade
O primeiro deles é o volante de couro com aquecimento. Apesar de ter os mesmíssimos recursos do modelo usado nas outras versões, ele não é “o mesmo do Passat CC”, que nos últimos tempos é visto até em Gol 1.0. Outro equipamento é o Area View, que fornece uma visão panorâmica ao redor do Touareg por meio de imagens de quatro câmeras.


O item engrossa a lista de itens de série do Touareg, que conta com abertura e partida remota sem chave, ar-condicionado de quatro zonas, GPS embutido no painel e suspensão a ar ajustável. E dá para equipar mais, acrescentando detector de veículos no ponto-cego (Side Assist), controlador de velocidade adaptativo (ACC) e teto-solar panorâmico, por módicos R$ 24.540. Ah, pintura metálica (R$ 1.635) e perolizada (R$ 2.350) também são cobradas à parte.


Interior Touareg

Refinado, interior segue sobriedade típica alemã. Volante é exclusivo da versão
(Crédito: Divulgação)

Para melhorar (e se diferenciar da concorrência), a Volkswagen poderia trazer o detector de mudança involuntária de faixa e o leitor de placas com frenagem automática de emergência, mas as peculiaridades do solo brasileiro dificultam a tarefa. A justificativa foi dada por José Luiz Loureiro, chefe de engenharia da marca.


— O padrão das placas brasileiras é diferente do europeu e impede que o sistema interprete-as corretamente para alertar o motorista sobre, por exemplo, a velocidade máxima da via.


Sala de estar ambulante
Se o custo extra do Touareg R-Line adiciona mais itens visuais do que exatamente práticos, isso não anula as virtudes já vistas nas outras versões da
nova geração do modelo. Percorrendo cerca de 150 km entre rodovias e trilhas íngremes na região de Campos do Jordão (SP), R7 Carros pôde aproveitar o comportamento quase impecável do SUV em diversas situações.

Em ultrapassagens e retomadas o modelo se faz valer da ótima transmissão automática feita pela ZF com oito marchas, com trocas suaves e no tempo certo. Com bom torque (45,4 kgfm a 3.500 rpm), o V8 dá disposição ao Touareg tanto em trânsito urbano quanto rodoviário. E a suspensão cumpre bem o papel de segurar o alto (1,71 m) modelo em curvas, assemelhando-se ao “irmão rico”
Porsche Cayenne.

Na trilha (de terra batida), o Volkswagen se virou bem, apesar dos pneus de perfil mais baixo (e rígidos) feitos para o asfalto darem trabalho ao controle de tração em pisos escorregadios. Os ângulos de entrada e saída menores provocados pelos spoilers no para-choque não prejudicaram a tarefa de transpor obstáculos mais ousados. Mérito da suspensão com altura regulável, que varia o vão-livre do solo entre 14,2 cm e 30 cm.


Prático para as trilhas, o recurso provavelmente será mais usado na hora do proprietário carregar o Touareg com compras: um botão no compartimento de bagagem permite abaixar a suspensão traseira e facilitar a colocação de artigos de luxo no porta-malas de 520 litros.


Com poucas adições práticas ao Touareg, a linha R-Line serve mais para atender àqueles que querem ao menos parecer que estão em um esportivo sem abrir mão da suposta segurança propiciada por um SUV elevado. Segundo Henrique Sampaio, gerente de marketing da Volkswagen, a versão não deve vender mais do que 50 unidades por ano. E desejosos por carros que parecem andar mais rápido terão mais opções pela frente: segundo a Volkswagen, mas quatro modelos R-Line serão lançados até 2013.
*Test-drive feito a convite da Volkswagen do Brasil
Fonte: R7/Rodrigo Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Matérias:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...