segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Teste: O espírito esportivo do novo BMW Série 7.

Teste: O espírito esportivo do novo BMW Série 7BMW faz ajustes no Série 7, mantém conjunto primoroso e incorpora ainda mais tecnologia. O mercado de luxo é um dos que menos sofre com a crise que afeta duramente a Europa. E para se manter atualizada, a BMW acaba de mexer no Série 7, seu maior e mais tecnológico sedã. O carro passou por uma leve reestilização e teve alguns detalhes aprimorados para continuar no topo da lista de desejos de quem procura um sedã grande de luxo.(VEJA FOTOS) Na frente, a grade tem menos filetes e há mais cromados adornando o para-choque. Embaixo, novos faróis de neblina, leds diurnos reposicionados e entradas de ar reformuladas. De resto, a silhueta imponente foi mantida, com o desenho discreto, mas marcante, que caracteriza o Série 7. Sem dúvida, trata-se de um carro grande, com até 5,21 m de comprimento na versão com entre-eixos longo, mas as linhas até que conseguem amenizar o tamanho e fazê-lo parecer um tanto menor.

Por dentro, a BMW afinou encostos das poltronas dianteiras para abrir ainda mais espaço para as pernas dos ocupantes de trás. A qualidade construtiva é das melhores, com acabamento quase artesanal e muitos “gadgets” de conforto, como a possibilidade do passageiro traseiro do lado direito chegar para frente o banco dianteiro para ampliar o vão e reclinar a poltrona. Além disso, o apóia-braço central traz diversos comandos para o sistema de entretenimento exclusivo para quem viaja na segunda fileira.
Sob o capô, a gama segue com motores de seis, oito e até 12 cilindros, com potências entre 258 cv e 544 cv. A versão mais “simples”, a 730d, com motor 3.0 diesel, usa um seis cilindros em linha de 258 cv e promete até 18 km/l de consumo médio. Com motor a gasolina, a base da gama é o 740i, com 320 cv extraídos de outro 3.0 seis cilindros. No topo da gama, a 760Li, com o poderoso V12 biturbo de 544 cv – o motor mais potente produzido pela BMW.


Independentemente da motorização, todas as versões trazem o suprassumo da tecnologia da marca bávara. Há quatro modos de condução – Eco Pro, Comfort, Sport e Sport+. O primeiro, além de configurar o carro para máxima economia de combustível, ainda incorporou a função “coasting” para o câmbio automático de oito marchas. Em velocidades entre 50 e 160 km/h ele mantém o motor na rotação mínima e busca aproveitar sempre a inércia do carro do movimento, desconectando, inclusive, a transmissão do propulsor. Tudo para reduzir ainda mais o consumo.
O Série 7 vem de série com faróis de led adaptativos e câmara de visão noturna – que permite detectar obstáculos a 60 metros de distância que só seriam visíveis a 20 metros de distância. Junto a isso, o sistema eletrônico do carro usa do GPS para configurar parâmetros de funcionamento do conjunto propulsor. Ele percebe a topografia da estrada adiante e é capaz de gerenciar o uso das baterias do EfficientDynamics para guardarem mais ou menos energia das frenagens.

Claro que tanta tecnologia não custa barato. Na Europa, o Série 7 mais barato – um 730d com motor diesel – não sai por menos de 74.900 euros, cerca de R$ 200 mil. O 750i com motor V8 a gasolina de 450 cv custa 96 mil euros – R$ 250 mil – e o topo 760Li, com entre-eixos alongado, bate nos 147.900 euros, ou R$ 385 mil. No Brasil, antes desse face-lift, as únicas versões trazidas eram a 750i, por cerca de R$ 450 mil, e a 760Li na casa dos R$ 540 mil.
Primeiras impressões
Espírito esportivo
Perugia/Itália – As linhas clássicas, acompanhadas de boa dose de esportividade, são as melhores características do Série 7. A frente agressiva, com os novos faróis de led, é instigante e, apesar de enorme, o sedã exala força. O interior é extremamente confortável e os bancos com massageadores só acentuam essa percepção. Tudo o que for esperado de um carro desse porte está disponível. No centro do painel, o grande monitor de controle do iDrive, que configura diversos parâmetros do carro.
Ao volante da versão 750d, com o consagrado seis cilindros em linha biturbo diesel de 381 cv, o rodar é extremamente suave e o funcionamento até parece o de um propulsor a gasolina, no que o câmbio automático de oito marchas contribui bastante. Os modos de condução também modificam bastante o comportamento do Série 7. Em Eco Pro, o carro fica quase bobo, com respostas bem mais lentas e o start/stop atuando sempre. Já em Sport, a suspensão fica notadamente mais rígida e o acelerador bem mais afiado, com respostas quase imediatas e toda a potência do motor despejada com mais rapidez.

Nas estradas escorregadias da região da Umbria, a tração integral xDrive teve inestimável contribuição, garantindo segurança mesmo em mudanças bruscas de direção e qualidade do pavimento. O sistema de navegação também provou ser da mais alta qualidade, com atualização quase instantânea sobre as condições de tráfego na rota e ainda indica a velocidade máxima permitida em cada trecho. Já em estrada aberta, o controlador de velocidade de cruzeiro adaptativo deu show de atuação, ao acompanhar o trânsito sem demandar qualquer ação do motorista.
Ficha Técnica
BMW 750d xDrive
Motor: Diesel, dianteiro, lingitudinal, 2.993 cm³, com seis cilindros em linha, biturbo, quatro válvulas por cilindro e duplo comando no cabeçote. Acelerador eletrônico e injeção direta.
Transmissão: Câmbio automático de seis marchas à frente e uma a ré. Tração integral. Oferece controle de tração.
Aceleração de zero a 100 km/h: 4,9 s.
Velocidade máxima: 250 km/h.
Potência máxima: 381 cv a 4 mil rpm.
Torque máximo: 75,4 kgfm entre 2 mil e 3 mil rpm.
Diâmetro e curso: 84,0 mm X 90,0 mm. Taxa de compressão: 10,5:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo double wishbone, com molas helicoidais e amortecedores de tubo duplo a gás. Traseira independente do tipo Multilink, com sistema a ar para autonivelamento, molas helicoidais e amortecimento de tubo duplo a gás.
Pneus: 245/50 R18.
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. Oferece ABS com EBD.
Carroceria: Sedã em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 5,07 metros de comprimento, 1,90 m de largura, 1,47 m de altura e 3,07 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais, de cortina de série e de joelho para o motorista.
Peso: 2.070 kg.
Capacidade do porta-malas: 500 litros.
Tanque de combustível: 80 litros.
Produção: Dingolfing, Alemanha.
Lançamento: 2009. Reestilização: 2012.
Equipamentos: Airbags frontais, laterais e de cortina, freios ABS, ar-condicionado automático com quatro zonas, rádio CD Player com entradas USB e para iPod, volante com revestimento em couro e comandos do som e computador de bordo, trio elétrico, retrovisores externos rebatíveis eletricamente, faróis de neblina, controlador de velocidade de cruzeiro adaptativo, controle de estabilidade e tração, revestimento em couro, bancos dianteiros com ajustes elétricos, fixação Isofix para cadeirinhas infantis, abertura interna do porta-malas, Night Vision, faróis de led adaptativos, sistema de entretenimento com telas atrás dos encostos dianteiros.
Preço na Alemanha: 78.300 euros, cerca de R$ 204 mil.


   Fonte: CarloValente/Infomotori.com-Itália/Auto Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Matérias:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...