sábado, 22 de dezembro de 2012

Teste: Tamanho não é documento para o Bentley Continental GT V8.

Teste: Tamanho não é documento para o Bentley Continental GT V8Mesmo com motor menor, Continental GT V8 não perde as credenciais da Bentley. A linha Continental, composta pelo cupê GT, o sedã Flying Spur e o conversível GTC,  carrega a responsabilidade de representar o maior volume de vendas globais da Bentley. (VEJA AS FOTOS DO CARRÃO)
O primeiro, além de ser considerado o modelo de acesso à gama, é o que registra números mais altos entre os “best-sellers” da marca britânica – seguido pelo topo de linha conversível. Porém, numa ação mais amiga do meio ambiente e do marketing ecológico, a fabricante decidiu mudar o jogo e reduziu os motores dos dois maiores vendedores. Deixou de lado o potente W12 6.0 biturbo de 567 cv e 71,3 kgfm de torque para equipá-los com o novo V8 de 4.0 litros. Apesar da redução de tamanho, o Continental GT continua registrando índices impressionantes, com 500 cv de potência e torque de 67,3 kgfm.
A ideia da fabricante com o propulsor – desenvolvido em conjunto com a Audi e aproveitado também no sedã S8, topo de linha da marca alemã – é reduzir o consumo de combustível e também as emissões de poluentes. O esportivo de luxo ainda conta com um sistema que mantém ativos apenas 4 cilindros quando não é muito exigido – equipamento introduzido pela empresa britânica ainda em 2010 no sedã grande Mulsanne.

Para atuar junto com o novo motor, a Bentley abandonou a transmissão de seis velocidades e adotou uma nova caixa ZF de oito marchas, com o objetivo de ajudar o bloco a cumprir a proposta de economia e explorar mais o torque disponível. O modelo custa em média US$ 174 mil, algo em torno de R$ 348 mil – cerca de 10% a menos que a versão com o W12. De acordo com as promessas da marca, o modelo equipado com o V8 é capaz de percorrer mais de 800 km com um único tanque de combustível, cuja capacidade é de 90 litros.
Porém, em se tratado de um fabricante de luxo, as mudanças não poderiam ficar apenas debaixo do capô. Esteticamente, o renovado Continental GT diferencia-se pela grade preta, com borda cromada e barra central vertical. A mesma cor adotada nas entradas de ar. Nas rodas, o famoso “B” ganha um contrastante fundo vermelho, em vez do tradicional verde. Na traseira, as saídas de escapamento apresentam novo desenho, em forma de “oito”. Para quem vê de fora, estes são os únicos diferenciais do Continental GT V8 em relação ao de bloco maior. Por dentro, a riqueza dos detalhes se faz presente nos excelentes materiais escolhidos – além do vidro duplo, para garantir melhor isolamento.

Primeiras impressões

Tamanho não é documento
Cidade do México/México
– Entrar no Continental GT V8 não é tão diferente do que é ocupar qualquer outro modelo da marca. O luxo e o cuidado impecáveis estão lá para provar que trata-se de um Bentley com todos os seus atributos. O acabamento é incomum no mercado, do tipo que apenas marcas como Rolls-Royce e Porsche poderiam se equiparar. Para impulsionar o poderoso motor biturbo não é preciso muito esforço. Basta ligá-lo para ouvir levemente o ruído de um carro com 500 cv e torque suficiente para mover um caminhão. Em seguida, liberar o freio de estacionamento, levar a transmissão à posição “D” – e praticamente decolar.
A suspensão, quando definida na configuração mais macia, deixa quase imperceptíveis todas as oscilações. Mas é claro que o Continental GT teria um modo mais duro, onde a sensação de uma condução esportiva fica evidente. Como testamos na pista, a aceleração e as curvas foram a prioridade. O sistema de desligamento de cilindros jamais trabalhou – ou, ao menos, foi imperceptível. A aceleração de zero a 100 km/h é cumprida em apenas 4,8 segundos, números bastante impressionantes para um carro de 2.750 kg. O desempenho deve-se, em parte, à divisão da tração, que distribui a força aos eixos na proporção 40/60 entre dianteiro e traseiro, respectivamente.
O sistema de tração também é notável na hora das curvas. Como todo carro de força integral, o Bentley Continental GT V8 oferece muito boa aderência. O som do motor, produzido por engenheiros da Audi, é mais discreto – bem diferente do Shelby V8 Supercharged ou do Camaro ZL1 –, porém, não menos divertido.
A tendência da indústria de construir carros com menos cilindros pode até desagradar muita gente. Mas é inegável que, mesmo com um motor menor, o cupê reúne todas as credenciais de um Bentley. E ainda acomoda um casal e dois filhos confortavelmente, para viajar e devorar quilômetros com facilidade. E desfrutar de tudo que uma marca de luxo pode oferecer.


Ficha técnica

Bentley Continental GT V8

Motor:
A gasolina, dianteiro, longitudinal, 3.993 cm³, oito cilindros em V, com quatro válvulas por cilindro, turbo. Injeção direta e acelerador eletrônico.
Transmissão
: Câmbio automático de oito velocidades à frente e uma a ré. Tração integral. Oferece controle eletrônico de tração.
Potência máxima:
500 cv a 6 mil rpm.
Aceleração de 0 a 100 km/h:
4,8 segundos.
Velocidade máxima:
302 km/h.
Torque máximo:
67,3 kgfm a 1.700 rpm
Diâmetro e curso: 
97,0 mm X 77,5 mm. Taxa de compressão: 12,5:1.
Suspensão:
Dianteira e traseira do tipo Double-Wishbone com amortecedores a ar e barra estabilizadora.
Pneus:
275/40 ZR20.
Freios:
Discos ventilados na frente e atrás. Oferece ABS.
Carroceria:
Cupê em monobloco, com duas portas e quatro lugares. Com 4,80 metros de comprimento, 1,94 m de largura, 1,40 m de altura e 2,74 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina de série.
Peso:
2.750 kg.
Capacidade do porta-malas:
358 litros.
Tanque de combustível:
90 litros.
Produção:
Crewe, Reino Unido.
Lançamento:
2012
Itens de série: Ar-condicionado, vidros elétricos, travas elétricas, bancos e volante com revestimento de couro, acabamento em madeira no painel, rádio com tela sensível ao toque de 7 polegadas, CD/DVD/MP3/USB/Bluetooth, bancos dianteiros com ajuste elétrico de altura, computador de bordo, direção elétrica, freio de estacionamento eletrônico, sensores de luminosidade, chuva e estacionamento, freios ABS, airbag frontais, laterais e de cabeça, regulagem de altura para o volante, retrovisores elétricos, faróis de neblina.
Preço:
US$ 174 mil ou R$ 348 mil.
FONTE: MOTORDREAM/Hector Mañón/AutoCosmos-México/Auto Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Matérias:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...