terça-feira, 12 de março de 2013

Chefão da McLaren afirma que P1 baterá recorde de Nurburgring.

Chefão da McLaren afirma que P1 baterá recorde de Nurburgring Novo superesportivo britânico completará volta no tradicional circuito alemão em menos de sete minutos, diz mandatário da marca. Os figurões da McLaren estão bastante otimistas com novo superesportivo da marca, o P1. Apresentado publicamente no Salão de Genebra, que vai até o dia 17 de março, o bólido britânico é tido como o McLaren mais potente já produzido e deverá ter suas 375 unidades vendidas brevemente. (VEJA FOTOS DO CARRÃO)
E para por a prova o título dado ao carro, o P1 passará por uma prova de fogo: a tradicional volta no circuito de Nurburgring Nordschleife, na Alemanha, que tem 20,6 km de distância. Mas o chefão da fabricante, Ron Dennis, não se mostrou preocupado com o desempenho do carro e afirmou que o P1 irá bater o recorde atual de um carro de produção, que pertence ao Viper ACR e seus 7m12s. "O P1 fará menos de sete minutos e será o carro mais rápido do mundo", afirmou Dennis, em entrevistas na Suíça.
A marca do Viper ACR foi estabelecida em setembro de 2011, e o segundo posto pertence aos japoneses da Lexus com o LFA e seus 7m14s. Vale lembrar que o Pagani Zonda R tem a marca de 6m48s, mas o superesportivo italiano – de apenas cinco unidades produzidas – não pode rodar nas ruas e nem atende as especificações para participar de competições de corrida.


McLaren P1

Para tentar bater a marca do esportivo norte-americano, o P1 vai usar todos os seus 903 hp – cerca de 916 cv. Do total, 737 cv são providos pelo motor V8 de 3.8 litros biturbo – o mesmo usado no MP4-12C. O restante – 179 cv – ficará a cargo do propulsor elétrico. Acoplado ao motor está uma transmissão de sete velocidades e dupla embreagem. O torque combinado chega a impressionantes 91,7 kgfm. A McLaren ainda informa que a autonomia do carro no modo totalmente elétrico será de 9,6 km e que as baterias levam cerca de duas horas para serem totalmente recarregadas. O condutor acionará o motor elétrico por meio de um botão chamado Instant Power Assist System – IPAS – colocado no volante.
Outras informações foram confirmadas anteriormente. O P1 terá apenas 500 unidades produzidas e custará U$ 1,2 milhão. O bólido também só terá a configuração LHD – sigla para left-hand drive – ou a direção no lado esquerdo, contrariando a lógica britânica. A justificativa é baseada nos custos de produção, já que seria inviável fabricar unidades com volante no lado esquerdo e direito. O carro terá o sistema de recuperação de energia - KERS - como já usado na principal categoria do automobilismo mundial.
Outra tecnologia que sai das pistas e é integrada nos carros de rua será o Drag Reduction System – DRS –, um spoiler colocado na traseira do carro que, acionado mecanicamente, diminui o arrasto aerodinâmico do carro em 23%. O sistema é desativado apertando novamente o botão ou pisando no pedal do freio. O novo superesportivo inglês é tido como o mítico sucessor do lendário F1. O desenho foi criado pelo método de dinâmica fluida computacional, junto a um túnel de vento, assim como os carros de Fórmula 1. 

FONTE: Raphael Panaro/MotorDream

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Matérias:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...