sábado, 8 de junho de 2013

G1 acelera o Audi RS 4 Avant em Interlagos.

Audi RS4 em teste de aceleração no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (Foto: Divulgação)Perua é ‘família’, mas consegue ser ‘nervosinha’ como um esportivo. Preço é o lado negativo do carro que não sai por menos de R$ 438,7 mil. Os modelos tipo perua são normalmente carros para quem quer versatilidade e espaço para carregar a família toda em passeios nos dias de folga, mas a Audi desde 1994 apimenta esta história e tem aperfeiçoado este conceito ao longo dos anos. (VEJA FOTOS E +)A ideia é dar a emoção de um superesportivo a um stationwagon e não tirar o estilo esportivo de seu visual. Assim, a terceira geração do RS 4 Avant traz no pacote o motor V8 4.2 FSI — o mesmo que equipa o RS 5 Coupé — e acelera de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos.

Concorrente RS 4 Avant (Foto: Editoria de Arte/G1)Concorrente RS 4 Avant (Foto: Editoria de Arte/G1)

Audi RS 4 (Foto: Divulgação)O modelo de R$ 438,7 mil dá continuidade a uma tradição quase que exclusiva da marca — uma perua com as mesmas características só existe no portfólio da Mercedes-Benz, a C63 AMG Touring. O RS 4 atual é a evolução da primeira geração RS 2, que começou com produção limitada.  Lançada em 1994, ela passou a ser a perua mais veloz do mundo: 0 a 100 km/h em apenas 5,4 segundos. O carro foi fruto da parceria entre a Audi e a Porsche, que foi responsável pela preparação do motor 2.2 de cinco cilindros turbo com 315 cavalos e outros componentes esportivos do carro.
Audi RS 4 Avant acelera de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos em condições ideiais (Foto: Divulgação)
Mais tarde, com o motor 2.7 V6 biturbo desenvolvido pela Cosworth, a primeira RS4 Avant chegou ao Brasil em 2001. Mais rápida, acelerava de 0 a 100 km/h em apenas 4,9 segundos, graças aos seus 380 cavalos de potência máxima. A segunda geração estreou em 2007, com motor V8 FSI com 420 cv, novo conjunto de suspensão, tração permanente nas quatro rodas e redução do peso. O modelo fazia de 0 a 100 km/hora em 4,9 segundos e tinha velocidade máxima (limitada eletronicamente) de 250 km/h. Foi produzido em duas versões: Sedã e Avant.
Audi RS 4 chega em 2013 por aproximadamente R$ 400 mil (Foto: Kati Ebne / Divulgação)Audi RS 4 Avant é uma perua com desempenho de esportivo (Foto: Kati Ebne / Divulgação)
Agora, com o motor V8 4.2 FSI, a nova geração da RS 4 tem 450 cv de potência a 8.250 rpm e torque máximo de 43,8 kgfm, disponível de 4.000 a 6.000 rpm. Para completar o conjunto, o RS 4 Avant vem equipado com câmbio S tronic de 7 velocidades e tração permanente integral quattro. O modelo vem de série com o Audi Drive Select, que oferece ao motorista três modos de condução - Conforto, Automático e Dinâmico – eles determinam características de direção, do câmbio de sete velocidades S Tronic e do acelerador. O sistema pode ainda variar o som do escapamento e do sistema de dupla embreagem, quando no modo Dinâmico.
Para completar os recursos que definem a proposta da perua, o compartimento de bagagem, que oferece até 1.430 litros de capacidade, incorpora sistema de trilho para fixação de carga.
Audi RS 4 (Foto: Divulgação)Motor V8 do Audi RS 4 Avant (Foto: Divulgação)
Pisando fundo em Interlagos
G1 pôde conferir os limites do RS 4 Avant em teste promovido pela Audi no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Em condições controladas, foi possível sentir a aceleração de 0 a 100 km/h em linha reta, o desempenho dos sistemas de segurança e a agilidade do carro no slalon (ziguezague entre cones) e a frenagem de 100 a 0 km/h.
Na primeira parte da avaliação, pisar fundo no RS 4 Avant foi para esquecer que a perua tem 4,7 m de comprimento, sendo 2,8 m de distância entre-eixos e 490 litros de capacidade do porta-malas, 1,8 m de largura e 1,41 m de altura. A aceleração impressiona com direito a frio na barriga.
Estabilidade
Já na segunda parte, mesmo com tal comprimento, o carro mostrou agilidade para fazer manobras curtas e rápidas com precisão.  A nova direção assistida, inclusive, trabalha com um sistema eletromecânico que ajuda o motorista a fazer pequenas correções de direção quando freia em superfícies com aderências diferentes.
Audi RS 4 (Foto: Divulgação)Audi RS 4 tem diversões recursos para aumentar a
estabilidade da perua (Foto: Divulgação)
Durante o salalon, ao forçar a aceleração e o giro do volante na pista molhada, o carro saiu de traseira. No entanto, os sistemas de tração e estabilidade impediram que o automóvel rodasse. Em poucos segundos foi possível retomar o controle do RS 4.
Para conseguir tal feito, ele vem de série com ESP, que possui o modo Sport e pode ser totalmente desativado; diferencial central autoblocante, que atua nas quatro rodas — se uma das rodas fica sem atrito quando o veículo está sendo dirigido no limite, o sistema desacelera um pouco aquela roda para evitar que ela derrape —; e diferencial esportivo no eixo traseiro, que distribui ativamente o torque entre as rodas traseiras para garantir ainda mais estabilidade e aderência do veículo em situações extremas.
Outra tecnologia de amortecimento disponível na nova RS 4 Avant é a suspensão esportiva com DRC ( Dynamic Ride Control). Os amortecedores de um lado do carro são interligados diagonalmente com os do outro lado, por meio de uma válvula central. Assim, em uma curva mais rápida, quando a suspensão dianteira do lado de fora da curva é comprimida, um fluxo de óleo é enviado ao amortecedor, por meio da válvula, para praticamente anular a rolagem da carroceria. O resultado é aumentar a estabilização de toda a carroceria, melhorando a estabilidade em curvas e dando respostas mais precisas do volante.
Audi RS 4 (Foto: Divulgação)Audi RS 4 Avant traz muito conforto
(Foto: Divulgação)
Frenagem
A última avaliação foi a frenagem de 100 a 0 km/h. Com o pé pressionando fundo o pedal do freio, o carro parou com precisão e força. O sistema ABS entrou em ação e não houve dificuldade nenhuma para controlar o carro. Como a Audi mesmo diz, o freio tem de ser mais “potente” do que o motor.
No caso, os freios a disco ventilados são montados atrás das rodas e medem 365 milímetros de diâmetro na dianteira. O sistema possui anéis de fricção com contorno externo ondulado, perfurados e conectados aos freios de alumínio por meio de pinos. O conceito reduz as tensões e rapidamente dissipa o calor, evitando a transmissão de picos de temperatura.
Tradição X preço
O visual do RS4 é modernoso, mas mesmo com o apelo à esportividade não deixa de ser ‘o carro da família’.  Se a preocupação é com a esportividade, outros modelos mais joviais da concorrência e da própria Audi são mais indicados. Se o caso é também ter espaço e facilidades no uso diário, ao entrar na gama de crossovers e SUVs, há ainda mais opções, até mesmo mais baratas e com motores potentes, como o BMW X6 e o Volkswagen Touareg.
A não ser que o interessado seja um apaixonado pela perua desde o RS2 ou precise de versatilidade para usar o carro diariamente e ter o prazer do frio na barriga na estrada. Neste último caso, pode-se dizer que o RS4 Avant é a solução para quem tem gosto pela condução esportiva ao levar a prancha de surf até a praia.
FONTE: G1SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras Matérias:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...